Conteúdo marcado como Contardo Calligaris

Contardo Calligaris: “Gostei de ‘Cinquenta Tons de Cinza’, o filme”

Contardo Calligaris: "Gostei de 'Cinquenta Tons de Cinza', o filme"
Contardo Calligaris, na Folha de S.Paulo Gostei de “Cinquenta Tons de Cinza”, o filme -gostei do que a diretora, Sam Taylor-Johnson, soube fazer com o livro. Em 2012, quando o primeiro volume saiu em português (ed. Intrínseca), dediquei uma coluna à trilogia de E. L. James. Não escreveria agora sobre o filme se ele não fosse acolhido por salvas de críticas que acho bizarras. Começou com a previsão de que […]

O preconceito é invencível por definição

O preconceito é invencível por definição
Contardo Calligaris, na Folha de S.Paulo Desde agosto, nos Estados Unidos, três homens negros foram vítimas de uma reação violenta e letal da polícia. Nos três casos, os policiais responsáveis não foram indiciados. Eles passarão por uma sindicância interna e talvez sejam afastados do serviço ativo, mas não serão criminalmente responsáveis pelas mortes que causaram. Os três casos são: um garotão que intimidava pelo seu tamanho, um menino de 12 […]

Crianças protegidas e inseguras

Crianças protegidas e inseguras
Contardo Calligaris, na Folha de S.Paulo Durante a minha infância, quanto tempo eu passava sem a supervisão de um adulto? Grosso modo, dos sete aos 12 anos, eu ia para escola sozinho, de “tramway”. Pegava o bondinho a três quadras de casa, e a escola era a segunda parada: digamos que o conjunto levasse meia hora. A volta da escola era a pé, com os amigos, brincando e conversando. Não […]

Quanto vale uma obra de arte?

Quanto vale uma obra de arte?
Contardo Calligaris, na Folha de S.Paulo Um jornalista perguntou a Marcel Duchamp: se você estivesse no museu do Louvre no meio de um incêndio e pudesse salvar só um quadro, qual obra você salvaria? Duchamp tinha a (merecida) reputação de ser um provocador, e o jornalista talvez esperasse levá-lo a confessar algum amor envergonhado por uma obra clássica. Mas Duchamp respondeu à altura de sua reputação; ele disse, sem hesitar: […]

A inveja dos outros

A inveja dos outros
Contardo Calligaris, na Folha de S.Paulo Anos atrás, decidi que, salvo necessidade absoluta, em voo internacional, eu não viajaria mais de classe econômica. Quando não posso pagar pela executiva, é simples: não viajo. A passagem de executiva dá direito ao uso de uma sala de espera confortável, que no Brasil é chamada de sala VIP (sigla de “very important person”, pessoa muito importante). Há um quê de idiota na ideia […]