Conteúdo marcado como crônica

Aquele mamão mofado

Aquele mamão mofado
Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo Fui reunir as crônicas para ver se lanço um livro novo e ganho um cascalho extra neste fim de ano. Da tela, vinha um estranho cheiro de fruta podre. As crônicas que escrevi ao longo do ano agora apodreciam no monitor como aquele mamão que comprei achando que seria uma boa ideia passar a comer mamão e agora o mamão parece um quadro de […]

My name is Cunha

My name is Cunha
Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo Você conhece. Você confia. Please allow me to introduce myself. My name is Cunha, mas pode me chamar de Cramunhão, de Sete-Pele, Coisa-Ruim, Cão-Tinhoso, Cabrunco, Gota-Serena, Caralho-de-Asa, Sinteco Gelado. Escrevo porque tem uma garotada por aí que está achando que eu vou cair. Mua-ha-há (difícil digitar risada malévola). Meninada, vamos ter uma a aula de história? Eba. Vamos! Sou muito, mas muito mais antigo […]

Social das redes sociais

Social das redes sociais
Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo O Twitter foi o primeiro a chegar na festa. Disparando humor mordaz, se limitava a frases curtas (muitas vezes roubadas). “Já vi festas melhores, hashtag decadência.” Logo depois, chegou o Instagram, fofíssimo. “Vocês estão a cada dia mais lindos.” O Twitter deu RT. “Vocês estão a cada dia mais lindos.” O Instagram agradeceu, sem perceber que era um RT irônico. O Facebook era o […]

Um marujo em alto mar

Um marujo em alto mar
Ricardo Gondim Nas coordenadas 37 graus a sudoeste e 20 graus a nordeste, mar alto, navega um homem já adiantado em idade. Desatento ao açoite do vento, ele medita. Está só. Vez por outra seus lábios se movimentam. A barba, grisalhada de três dias, mostra há quanto partiu de um porto seguro. Ele conversa com o nada. Mal se dá conta de que ninguém ouve o monólogo. Mas ele insiste, […]

Dói, mas tem cura

Dói, mas tem cura
Brasil de hoje é melhor do que o dos militares, tanto quanto Portugal de agora, com ex-primeiro-ministro preso por corrupção e a recessão, é melhor do que o do salazarismo Zuenir Ventura, em O Globo Depois de atuar no Rio por quatro anos como correspondente do “Diário de Notícias”, de Lisboa, o jornalista Hugo Gonçalves escreveu uma crônica-despedida intitulada “O Brasil que dói”, em que lembra sua “revolta” ao ouvir […]