Conteúdo marcado como crônica

Jardim dos Impeachments que se Bifurcam

Jardim dos Impeachments que se Bifurcam
Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo 1. Convocam-se novas eleições. Lula se candidata. Ganha. O governo segue corrupto e conservador, mas agora ganhou uma injeção de carisma. Metáforas futebolísticas entretêm povo e imprensa. Em 2018 Lula é reeleito e em 2022 Lula elege Dilma. Ou 2. Convocam-se novas eleições. Lula não se candidata. Aécio ganha. O governo não dura uma semana: Anastasia, chefe da Casa Civil, está envolvido na Operação […]

A graça do amor

A graça do amor
Que ela retorne a todos os que a perderam – como uma luz, como uma palavra, como um abraço inesgotável Ivan Martins, na Época Na China antiga, quando as coisas começavam a dar errado em larga escala, concluíam que o governo perdera a graça do Céu. Era uma forma peculiar e mística de democracia. Funcionava. Permitia a remoção de imperadores desastrados ou azarados demais. Outro dia, movido pela comoção do […]

5 sinais que fazem dele um sapo

5 sinais que fazem dele um sapo
Cyelen Veloso, no Catalogando-me Posso não ter muita experiência com príncipes, mas com os sapos eu sou a campeã de bilheteria. Posso não ter muita experiência com príncipes, mas com os sapos eu sou a campeã de bilheteria! O mal não está em namorar um “cara sapo”, mas em ficar com ele pensando que você vai fazer dele um príncipe. O resultado disso é trágico! Mas primeiro vamos definir o […]

Pardon anything

Pardon anything
Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo Hello, Gringo! Welcome to Brazil. Não repara a bagunça. Don’t repair the mess. In Brazil we give two beijinhos. Em São Paulo, just one beijinho. If you are em Minas, it’s three beijinhos, pra casar. It’s a tradition. If you don’t give three kisses, you don’t marry in Minas. In the other places of Brazil, you can give how much beijinhos you want. In […]

Nada me faltará

Nada me faltará
Publicado por Fabrício Carpinejar Qual a maior alegria de pobre? Ver sua despensa cheia. Preparar um rancho mensal. Tomar as estantes da cozinha com produtos. Não sobrar uma fresta de vazio, uma nesga de espaço. Enfileirar feijão, criar um exército de arroz, formar paredões de creme de leite. Falo com conhecimento de casa. Pobre mesmo se contenta em forrar o futuro. Como se uma guerra fosse começar e ele estivesse […]