Conteúdo marcado como crônica

Orgulho hétero

Orgulho hétero
Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo Caro Gregório-mais-velho, quem te escreve desse endereço do zipmail é o Gregório de 13 anos de idade. Quero muito ser você quando eu crescer, rsrsrs. Falando serião: não queria que você se transformasse numa pessoa careta. Existe uma patrulha do politicamente correto que não para de crescer. Como eu quero que você seja comediante, eu acho que você tem que lutar contra essa hipocrisia […]

Adeus, São Paulo

Adeus, São Paulo
Por Matheus Pichonelli, na Carta Capital Do alto, sentia a vertigem e imaginava quantos pedaços de mim se espalhariam pelo chão se a grade mambembe, espetada em uma parede com as primeiras rachaduras, se partisse naquele instante. Estávamos no 23º andar e eu, como sempre acontecia quando meus pés se afastavam do chão, imaginava com quantos calafrios eram construídos um edifício como aquele. O corretor, de cabelo espetado e brinco […]

O homem de 2003

O homem de 2003
Gregório Duvivier, na Folha de S.Paulo O Homem de 2003 acorda ao som do seu celular tocando o Nokia Tune. O homem de 2003 abre a sua agenda (ele ainda usa agenda) e descobre que tem uma reunião no centro da cidade dali a uma hora. “Uma hora é tempo de sobra para chegar no centro”, ele pensa, “ainda dá pra tomar um cafezinho” –coitado. O homem de 2003 sai […]

Moda reaça

Moda reaça
Vamos aproveitar o aniversário da democracia e tirar do armário a fardinha verde-oliva do vovô Gregorio Duvivier, na Folha de S.Paulo Aproveitando essa onda reaça que tá super-mega tendência, a gente está lançando toda uma coleção pra você, jovem reacionário, que quer gastar o dinheiro que herdou honestamente na sociedade meritocrática –apesar dos impostos, é claro. Pode guardar a camiseta fedida do Che Guevara e raspar essa barba de Fidel. […]

Da arte de não querer ouvir o que já sabemos

Da arte de não querer ouvir o que já sabemos
André J. Gomes, na Revista Bula Primeiro aconteceu no congestionamento de uma cidade grande, com aquele sujeito pequeno que decidiu fazer uma faxina no interior de seu carro enquanto o trânsito não andava. Indiferente como os ponteiros de um relógio que atropelam a vida em total desaviso, juntou o entulho que ali havia, restos de comida, maços vazios de cigarro, latas de cerveja amassadas, e atirou tudo à rua pela […]