Conteúdo marcado como Fernando Pessoa

Fogo na capela

Fogo na capela
Antonio Prata, na Folha de S.Paulo Por uns dias, acreditamos que seria possível vencer sem Neymar, sem Thiago Silva, sem meio de campo, sem time: só no grito, no peito, na raça, no hino, mas a seleção a capela não pegou na banguela e morremos na praia -ainda que em Minas, tão perto do ouro, tão longe do mar. Um poeta português que muito cantou o mar já disse que […]

Penitência sem carolice

Penitência sem carolice
Ricardo Gondim Sinto-me companheiro de certos personagens da Bíblia; suas características atormentadas me atraem. Pensei em mencionar alguns notórios pessimistas não-religiosos: Schopenhauer, Nietzsche, Cioran, Camus, mas pressinto celeuma. Além do mais, não seria honesto conformar-me tão estreitamente  a gente da estirpe de Fernando Pessoa, Carlos Drummond e outros; fora a náusea universal que mulheres e homens partilham, ando razoavelmente bem resolvido em diversas áreas. Sou irmão de Asafe, o bardo que […]

A celebridade – Fernando Pessoa

A celebridade – Fernando Pessoa
Publicado originalmente no site do Ricardo Gondim  Às vezes, quando penso nos homens célebres, sinto por eles toda a tristeza da celebridade. A celebridade é um plebeísmo. Por isso deve ferir uma alma delicada. É um plebeísmo porque estar em evidência, ser olhado por todos inflige a uma criatura delicada uma sensação de parentesco exterior com as criaturas que armam escândalo nas ruas, que gesticulam e falam alto nas praças. […]

Estética da abdicação – Fernando Pessoa

Estética da abdicação – Fernando Pessoa
Ricardo Gondim CONFORMAR-SE é submeter-se e vencer é conformar-se, ser vencido. Por isso toda vitória é uma grosseria. Os vencedores perdem sempre todas as qualidades de desalento com o presente que os levaram à luta que lhes deu a vitória. Ficam satisfeitos, e satisfeito só pode estar aquele que se conforma, que não tem a mentalidade do vencedor. Vence só quem nunca consegue. Só é forte quem desanima sempre. O […]

Prece

Prece
Fernando Pessoa SENHOR, que és o céu e a terra, que és a vida e a morte! O sol és tu e a lua és tu e o vento és tu. Tu és os nossos corpos e as nossas almas e o nosso amor és tu também. Onde nada está tu habitas e onde tudo está – (o teu templo)  – eis o teu corpo. Dá-me alma para te servir […]