Conteúdo marcado como livros

O pão

O pão
Ed René Kivitz Construíram altares para o pão. Espalharam pelas paredes fotos de pão. Debateram receitas de pão. Escreveram poemas exaltando o pão. Distribuíram amuletos com miniaturas de pão. Fabricaram réplicas de pão em ouro, prata e bronze. Editaram manuais para o consumo do pão. Instituíram sociedades do pão. Discutiram a importância do pão. Elaboraram regras para o acesso ao pão. Formaram padeiros e especialistas em pão. Edificaram casas do […]

Polegar diz que não é mais do crime: ‘É um dinheiro que a gente não pode usar’

Polegar diz que não é mais do crime: ‘É um dinheiro que a gente não pode usar’
“Se você não souber ler, você pira. Li muito. A cada quatro dias, lia um livro de 500 páginas” Carolina Heringer, no Extra O traficante Alexander Mendes da Silva, o Polegar, de 40 anos, disse, em entrevista na sede da ONG Afroreggae, na Lapa, que “não tem mais facção e não pertence mais ao crime”. Polegar foi solto na manhã desta quinta-feira. Preso em 2011, no Paraguai, o ex-chefe do […]

Por que devemos dialogar com quem odiamos?

Por que devemos dialogar com quem odiamos?
Há algo na história do outro que eu preciso apreender, e isso só irá acontecer quando minhas conveniências ideológicas não atrapalharem. Mesmo que nada seja aproveitado, apenas o ato de se dispor ao diálogo revela uma mudança radical de caráter Eber Freitas, no Administradores Chimamanda Adichie é uma escritora nigeriana. Apesar de ter nascido em um país do qual só ouvimos falar de miséria, Aids e Boko Haram, ela foi […]

Putin assina lei que proíbe palavrões na Rússia

Putin assina lei que proíbe palavrões na Rússia
Conjunto de especialistas vai definir expressões que não são permitidas Publicado em O Globo O presidente da Rússia, Vladimir Putin, promulgou na segunda-feira uma lei que proíbe o uso de obscenidades e grosserias em espaços públicos como meios de comunicação, teatro, filmes, peças, livros, concertos e obras de arte. Quem usar palavrões ou gestos grosseiros a partir da entrada em vigor da lei no próximo dia 1º de junho poderá […]

Silêncio, a mais covarde das covardias

Silêncio, a mais covarde das covardias
Ricardo Gondim Venho das fronteiras. Filho de um preso politico e de uma feminista militante, senti na pele o preço que eles pagaram pelo degredo. Canhoto, acostumei-me a não encontrar carteira adequada na sala de aula. Excomungado da igreja presbiteriana, antes de completar 20 anos de idade, perdi o medo de cenho franzido. Pentecostal entre teólogos com bom currículo, experimentei o peso da suspeita. Migrante nordestino em São Paulo, percebi […]