Conteúdo marcado como Luiz Felipe Pondé

Moral de amadores

Moral de amadores
Luiz Felipe Pondé, na Folha de S.Paulo Quando não existe comércio, não há esperança. Afirmação estranha, eu sei, para um país atrasado como o nosso, que ainda não descobriu que quem faz “justiça social” verdadeira é o comércio. Um amigo esquisito que eu tenho me disse certa feita que, no século 19 no Brasil, era comum se usar a expressão “comércio de ideias”. A expressão me soou familiar de alguma […]

Pondé: Ratzinger é brilhante como teólogo, mas fracassou como papa

Pondé: Ratzinger é brilhante como teólogo, mas fracassou como papa
Luiz Felipe Pondé, na Folha de S.Paulo Joseph Ratzinger é um dos maiores teólogos vivos do cristianismo. Como papa Bento 16, fracassou. Conservador, um tanto liberal no começo de sua carreira, Bento 16 iniciou seu papado com um projeto, já em curso quando era a eminência parda intelectual de João Paulo 2º, de pôr “medida” na herança do Concílio Vaticano 2º, verdadeira “revolução liberal” na Igreja Católica. Já nos anos […]

A idiota de Deus

A idiota de Deus
Luiz Felipe Pondé, na Folha de S.Paulo Meus leitores sabem o quanto abomino aeroportos. Criei mesmo a expressão “churrasco na laje” para descrever essa sensação de que somos atropelados por uma mistura de música brega e pessoas mal-educadas. Não se trata de preconceito (no sentido banal que a palavra ganhou depois de virar chiclete com banana na boca de todo mundo) porque não acho que as pessoas não sabem se […]

Origem da religião na pré-história

Luiz Felipe Pondé, na Folha de S.Paulo Muitos leitores me perguntaram o que aquela peça kafkiana cujo título era “Páscoa” queria dizer na coluna do dia 2/4/2012. O texto era simplesmente isto: a descrição de um ritual religioso muito próximo dos centenas de milhares que devem ter acontecido em nossa Pré-História. Horror puro, mas é assim que deve ter começado toda a gama de comportamentos que hoje assumimos como cheios […]

As filhas da desgraça

Luiz Felipe Pondé, na Folha de S.Paulo “Eu sou um ex-covarde”, escreveu Nelson Rodrigues (foto), no “Globo”, no dia 18/10/1968. E continua: “… o medo começa nos lares, e dos lares passa… para as universidades, e destas para as Redações… Sim, os pais têm medo dos filhos; os mestres, dos alunos”. Sobre Nelson, leia “Inteligência com Dor, Nelson Rodrigues Ensaísta”, de Luís Augusto Fischer (ed. Arquipélago). Grande livro, rodriguiano até […]