Conteúdo marcado como oscar wilde

O sonho de uma civilização realmente planetária

O sonho de uma civilização realmente planetária
Publicado por Leonardo Boff Em parte, o desamparo atual que toma conta de grande parte da humanidade, se deriva de nossa incapacidade de sonhar e de projetar utopias. Não qualquer utopia. Mas aquelas necessárias que podem se transformar em topias,  quer dizer,  em algo que se realiza, mesmo imperfeitamente, nas condições de nossa história. Caso contrário, nosso futuro comum, da vida e da civilização correm graves riscos. Temos, portanto,  que […]

Se Jesus andasse por aí hoje, certamente apanharia do povo

Se Jesus andasse por aí hoje, certamente apanharia do povo
Publicado por Leonardo Sakamoto Hoje é Sábado de Aleluia. Dia da Malhação do Judas. Para quem não é ou não foi cristão, nem acompanha as notícias, a tradição consiste em fazer um boneco de pano, papel, serragem, jornal, o que seja, para representar Judas Iscariotes – o delator de Jesus – e humilhá-lo, xingá-lo, surrá-lo, queimá-lo, alfinetá-lo, explodi-lo. Quando me lembro das vezes em que dei paulada em Judas na […]

O que te faz feliz?

Rogério Tuma, no Carta Capital Se você pensa que o dinheiro compra felicidade, está enganado. O que mais faz alguém feliz é o respeito e a admiração pelos outros que estão a sua volta, e não o quanto se acumula de dinheiro durante a vida. Não, não foi nenhum pobre que concluiu isso, e sim um pesquisador da Haas School of Bussiness, da Universidade da Califórnia (EUA), com base em […]

Homofobia não é crime

João Pereira Coutinho, na Folha de S.Paulo É um erro comum: alguém escreve sobre o julgamento de Oscar Wilde em 1895 e o apresenta como o momento infame em que a sociedade vitoriana resolveu reprimir “o amor que não ousa dizer seu nome”. Admito que essa versão faça as delícias das patrulhas, para quem Wilde virou mártir, ou santo. Mas, ironicamente, a perdição de Wilde não começou com a intolerância […]

Áster

Helena Beatriz Pacitti Não, meu coração não é maior que o mundo. É muito menor. Nele não cabem nem as minhas dores. Por isso gosto tanto de me contar. Por isso me dispo, por isso me grito, por isso freqüento os jornais, me exponho cruamente nas livrarias: preciso de todos. …Tu sabes como é grande o mundo… CDA Luis Fernando Verissimo, em uma crônica muito bonitinha, levantou a questão sobre […]