Conteúdo marcado como saudade

Um ano sem saudade

Um ano sem saudade
Ricardo Gondim 2017 foi-se e com ele, lágrimas doloridas. Em toda a minha história de vida, já chorei muito. Acompanhei minha família rumo ao cemitério, logo depois que papai foi preso. Sepultávamos uma irmã, incapaz de sobreviver à gravidez da mamãe sob o terror da ditadura. Anos depois, fiz o mesmo trajeto para enterrar um sobrinho, filho de minha irmã mais velha, assassinado na flor da idade – 17 anos. […]

Filho da cantora Eyshila divulga videoclipe de música em homenagem ao irmão que morreu de meningite

Filho da cantora Eyshila divulga videoclipe de música em homenagem ao irmão que morreu de meningite
Publicado no Extra Lucas Oliveira, filho da cantora gospel Eyshila, revelou, nesta segunda-feira, o videoclipe da música “Saudade”, feita em homenagem ao irmão Matheus Oliveira, que morreu de meningite viral, em 14 de junho, aos 17 anos. O lançamento da gravação chega poucos meses após a cantora gospel ter anunciado que o filho faria uma canção para lembrar o irmão que havia morrido. “Gente, saiu o clipe do Lucas. #Saudade”, […]

A vida, um sono ligeiro

A vida, um sono ligeiro
Ricardo Gondim Passamos rapidamente. Nem nos damos conta de que estamos perigosamente próximos da última curva. Nossos passos largos diminuem e caminhamos vagarosos. Nossa voz adquire o timbre dos idosos. A mão, que outrora assinava o nome com firmeza, não custa a tremer. Não tarda, precisamos de que alguém nos ajude a levantar e deitar. Somos como a flor do campo que floresce pela manhã e murcha no crepúsculo. Como um […]

A vida em estado puro

A vida em estado puro
Ricardo Gondim Dedicado ao mestre Rubem Alves  Ando inebriado de beleza. De repente me sinto esmagado pelo esplendor. Sem mais nem menos, sou batizado por uma Presença nas águas encantadas da poesia. Tudo me encanta, tudo me seduz. Nesse mergulho, passo a gostar de pequenos gestos. Relembro momentos fugidios que marcaram minha retina com enorme alegria. Ressuscitam em mim olhares, toques e sílabas soltas, responsáveis pelo resgate de mim mesmo. Sei, uma presença estranha […]

Pai, eu não te amo como antigamente

Pai, eu não te amo como antigamente
Ruth Manus, no Estadão Pai, Há muitos anos que não caibo mais no seu colo. Hoje meu peso já é demais para você me carregar nos seus ombros. E meus anos já não permitem certos mimos de antigamente. Mas me flagro, às vezes, desejando que você ainda pudesse administrar minha vida, escolhendo os caminhos mais seguros para eu caminhar. Caminhada essa, livre de todo medo, por saber que você me […]