Conteúdo marcado como soli deo gloria

Assim vivemos, assim clamamos

Assim vivemos, assim clamamos
Ricardo Gondim Vivemos como pêndulos. Suspensos por fios de seda, nada podemos contra o tiquetaquear inclemente do tempo. Ninguém é autônomo. Muitas vezes dependemos de mãos desconhecidas para nos manter em pé. Não passamos de um delicado cristal, perigosamente estilhaçável por qualquer descuido alheio. Nossas carências aparecem na perene busca de um colo que nos acolha. Vivemos no limiar da morte. Somos torturados pela Fortuna – deusa que se esconde […]

Uma prece pela paz

Uma prece pela paz
Ricardo Gondim Meu Deus, quanto furor. Narinas ainda resfolegam ira em teu nome. Não basta o que já se horrorizou por causa de Jesus? Navios carregaram almas agrilhoadas tanto pela espada como pela cruz. Venderam-se vidas. O nazareno deu lucro à coroa. A humanidade não pode se acostumar que alguém alegue a tua defesa para destilar peçonha. Por que alguns se sentem convocados a arvorar certezas com tanto ranho? O que […]

Depois de tudo…

Depois de tudo…
Ricardo Gondim Depois de tudo resta esse sentimento inominado muitas vezes confundido com tristeza. Fica a sensação de perda, o oco de algo que nunca ocupou totalmente. Sobra o medo de saber que nada bastará para preencher o vazio avassalador que o tempo sobrecarregou. Depois de tudo remanesce uma saudade, não do que aconteceu, apenas das pessoas que nos tocaram. Fica o desespero de não lembrar nome e de saber […]

A espiritualidade que procuro

A espiritualidade que procuro
Ricardo Gondim Busco uma espiritualidade que não aceite que vivemos no melhor mundo possível não seja fatalista não gere elitismo entre os crentes não busque nenhum privilégio divino não discrimine pessoas que pensam diferente não se apóie em méritos para obter bênçãos não tenha um Deus lá fora que é chamado para perto não torça pelo inferno – qualquer um não transfira para o Paraíso cobiça dissimulada na terra não […]

Sobre sombras e luzes

Sobre sombras e luzes
Ricardo Gondim Dizem que Oscar Niemeyer projetou a Catedral de Brasília como metáfora em cimento, ferro e areia do Salmo 23. Ao contrário de outras igrejas, a entrada desce, escura. É vale de sombra e de morte. A vereda, entretanto, chega ao amplo e luminoso espaço, onde se encontra Deus. Salmo e catedral descrevem a vida de muitos, que declina e escurece. Sempre existe alguém que sente o caminho, já […]